Suicídio e saúde mental
Postado em | Escrito por: Romildo Ribeiro de Almeida
0 Comentário

A luta pela vida na Campanha do Setembro Amarelo.

O mês de setembro, é marcado pela campanha “Setembro Amarelo” dedicada à prevenção do suicídio; uma boa razão para refletir um pouco sobre esse tema que está intimamente ligado à saúde mental. Segundo a OMS, ocorrem cerca de 800 mil suicídios por ano no mundo e o Brasil é o oitavo em números absolutos com cerca de 12 mil suicídios ao ano. É importante saber que 96 % das pessoas que cometem o ato contra a própria vida sofriam de algum transtorno.

Na verdade, a pessoa que fala em suicídio está pedindo ajuda e provavelmente em algum momento da vida já pensou ou tentou fazê-lo. O simples fato de ser ouvida com atenção, pode ajudá-la a aliviar as tensões e angústias com um efeito positivo no seu quadro depressivo. Infelizmente a ideia de que ela só quer chamar a atenção, contribui muito para aumentar os riscos. Temos que saber que quem fala em suicídio tem que ser levado a sério, pois está com problemas e precisa de apoio.

Existe uma ambivalência no estado mental do suicida, pois na verdade o que ele busca, não é a morte, mas sim o alívio, pois não suporta mais estar consciente do próprio sofrimento. Em última análise ele quer dar fim a consciência do sofrimento mesmo que para isso tenha que destruir todo o resto. Todo ser vivente carrega dentro de si um instinto poderoso em favor da vida desde as plantas até os animais. Podemos dizer que, instintivamente, nenhum ser humano quer morrer.

O suicídio não é um processo pacífico e sim uma luta interna entre consciente e inconsciente. Um lado quer morrer, mas o outro, luta desesperadamente para se manter vivo. Essa luta está presente nos quadros graves de depressão. É maravilhoso quando o instinto pela vida vence, apoiado por amigos, familiares, médicos, psicólogos, igreja, etc. Por outro lado é triste saber que uma consciência desolada, perturbada e sem fé em mais nada, numa atitude impulsiva e irreversível, dá fim ao bem mais precioso que temos: a vida. Precisamos nos mobilizar para que isso deixe de acontecer e que a vida vença em todos os sentidos.

Entre em contato!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.