Alunos do Colegial em dúvida de qual profissão seguir
Postado em | Escrito por: Romildo Ribeiro de Almeida
0 Comentário

Vai chegando o final de ano e os jovens que prestarão vestibular para ingressar na faculdade se desesperam numa dúvida cruel: Que profissão escolher entre tantas possibilidades?
O conselho óbvio dado por educadores geralmente é: Procure fazer aquilo que gosta, pois fazendo o que gosta você terá mais chances de se dar bem.

O conselho parece ser bom, mas analisando mais profundamente, vemos que é meio utópico. Por trás de tudo, existe um mercado e esse mercado não paga para desfrutarmos do ócio e do prazer e sim para fazer o que necessita ser feito, quer gostemos ou não.

A Psicanálise de Freud ensina que existem dois princípios que regulam a nossa relação com o mundo exterior: De um lado o princípio do prazer e do outro, o princípio da realidade. Fazer o que gosta parece estar ligado ao princípio do prazer que visa sempre buscar a satisfação do ego.

Numa sociedade capitalista a lógica é sempre atender as demandas instintivas, pois essa tendência vai de encontro aos objetivos do mercado que quer vender cada vez mais. Nesse princípio, ninguém se preocupa com o outro. Vivemos numa sociedade egoísta onde tudo parece ser regulado pelo prazer. Relacionamentos conjugais, comerciais e pessoais começam e terminam baseados, sobretudo neste princípio do gosto, não gosto.

profissoes

Por outro lado, existe o princípio da realidade que nos recoloca na direção da consciência e da razão. O que é bom e prazeroso pra mim será também útil em termos de coletividade?
Surge então a pergunta: Será que não podemos gostar de algo que precisa ser feito? Algo que a sociedade precisa? Que seja bom para todos?

“pensar no bem comum, ser solidário é a melhor maneira de pensar em si mesmo.”

Felizmente, vejo que atualmente, existem jovens que estão renunciando ao caminho do prazer pessoal e da prosperidade econômica para fazer escolhas relacionadas com o
sentido existencial. Estão entendendo que felicidade é algo muito mais amplo do que ter bens materiais e satisfação do ego.

Não acho que estou sonhando quando creio que seja possível ser feliz através da excelência alcançar o prazer fazendo algo bem feito em prol da sociedade. Vocação
para o amor é o desejo de exercer profissões que visem o bem comum, diferentemente de uma escolha egoísta baseada apenas no dinheiro e no prazer pessoal.

Essa diretiva é mais do que um conselho para os jovens que estão em busca de uma profissão, mas também um conselho àqueles que desejam alcançar a plenitude do ser, pois pensar no bem comum, ser solidário é a melhor maneira de pensar em si mesmo. Mais importante do que o que você faz, é o como você faz e o para que faz. Não escolha um curso para ganhar dinheiro ou para ter prazer. Faça tudo com amor, visando não só a própria satisfação, mas também a do próximo. Esta é a decisão correta.

Entre em contato!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.