Liberdade, Educação e História
Postado em | Escrito por: Romildo Ribeiro de Almeida
0 Comentário

Como as informações podem nos influenciar?

Recentemente a imprensa repercutiu a fala do Youtuber Monark que em seu podcast disse que o Partido nazista deveria existir legalmente. Essa declaração infeliz culminou com o desligamento de Monark dos canais do Youtube. Vale a pena discutir aqui como a falta de conhecimento sobre a história aliada a irresponsabilidade de quem produz esses conteúdos, podem influenciar jovens e crianças e gerar opiniões como as de Monark. A verdade é que, para o bem ou para o mal, as mídias sociais têm um grande peso no processo de educação.

Educar é atribuição da família, mas há muito tempo as famílias perderam essa capacidade e terceirizaram essa função às escolas, que por sua vez, não têm a credibilidade necessária para fazê-lo. O processo de educação implica um vínculo complexo que envolve discussões e diálogos nos quais se ensina e se aprende tudo ao mesmo tempo. Mas os pais chegam em casa cansados e entregam seus filhos aos computadores. O resultado disso é que estamos criando uma geração de pessoas alienadas que consomem passivamente os conteúdos da internet.

O ideal seria discutir com os filhos o que está acontecendo no seu bairro, na sua cidade, no seu Estado, no país e no mundo. Deveriam ler com os filhos sobre os acontecimentos do passado, sobre guerras, escravidão, extermínio de povos, etc. Porque não discutir sobre racismo, perseguição às minorias, xenofobia e homofobia? É importante saber que as crianças sabem manusear o computador e ter acesso a notícias, mas não têm o discernimento para entender o que é falso e o que é verdadeiro. Sem a participação dos pais elas se tornam consumidoras passivas dos grandes Youtubers e das fake news.

O Papa Francisco em sua carta Encíclica Fratelli Tutti, nos lembra que somos todos irmãos e como tais devemos zelar um pelo outro. Nos lembra também que não existem problemas individuais, que afetem uma só pessoa, uma só localidade. Em última análise o problema de um é problema de todos, pois habitamos aterra, casa comum. A verdadeira escola que educa para a vida é aquela em que há a participação de todos: Pais, Escola e Estado, afinal a História não acontece nos noticiários da TV, mas dentro de cada um de nós.

Entre em contato!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.