Disfunções sexuais - O que são e como tratá-las?
Postado em | Escrito por: Romildo Ribeiro de Almeida
3 Comentários

O sexo é uma função muito importante no ser humano. Uma vida sexual satisfatória é quase que um atestado de saúde, já que para desempenhar bem uma atividade sexual, o indivíduo deve estar numa condição favorável, tanto do ponto de vista físico, quanto psíquico.

Talvez por esse motivo, a natureza criou um sistema complexo que envolve a relação entre machos e fêmeas. O macho, nesse caso, ficou com a pior parte, pois tem que demonstrar desempenho e capacidade já que a ereção exige bom funcionamento de todos os órgãos. No mundo animal, na maioria das vezes, a fêmea por ser passiva, só tem o trabalho de escolher ou esperar aquele que vai ser o digno merecedor de sustentar a sua prole e consequentemente passar os seus genes adiante. O macho alfa representaria então o mais apto, o vencedor da disputa pela vida. Não há como não ver nisso uma escolha que tem como critério a saúde física.

Relação entre machos e fêmeas no mundo animal

No ser humano existe uma agravante, pois além do aspecto biológico, há também um complicado sistema que envolve as emoções, participam do processo liberando ou bloqueando a energia inconsciente no momento da relação.

Tanto as causas biológicas como emocionais geram os mesmos tipos de disfunções que atrapalham tanto o homem quanto a mulher. No homem, as principais disfunções são: problemas de ereção e ejaculação precoce enquanto que na mulher, as principais são frigidez e dificuldades para chegar ao orgasmo.

Evidentemente as causas físicas devem ser investigadas em primeiro lugar já que elas são sempre a primeira hipótese. Nesse caso o médico requisitará exames e em caso positivo, prescreverá medicamentos. Mas quando o médico atesta boa saúde física da pessoa, a hipótese de problemas emocionais passa a ser a mais provável. Então é hora de procurar um psicólogo.

Os problemas ocorridos na primeira infância dos zero aos sete anos, idade em que a criança não possui ainda uma mente consciente capaz de compreender as experiências que vive, são os principais responsáveis pela geração de traumas que vão ocasionar disfunções sexuais na vida adulta. Isto porque a mente inconsciente possui a incrível capacidade de armazenar fatos que foram esquecidos exatamente por serem traumáticos. Esquecer é um mecanismo de defesa do nosso psiquismo, mas nem tudo que é esquecido fica inativo, podendo reaparecer na nossa consciência através de neuroses. Freud foi o primeiro a se deparar com essa propriedade do nosso psiquismo nos seus estudos sobre recalques.

Trauma na infância

As situações que envolvem abuso sexual costumam gerar complexos graves na vida adulta, porém mais danoso que a experiência em si, é a forma como ela foi tratada. Quando a criança tem a oportunidade de falar abertamente com os pais e estes tomam a posição de defendê-la e protegê-la, o estrago na vida adulta será bem menor. Mas existem casos em que a criança não pôde relatar a experiência a ninguém por medo de represália do agressor ou dos próprios pais. Nesse caso ficará sempre um trauma que influirá negativamente no futuro.

Causas da disfunção sexualMas quando falamos em traumas pensamos logo em uma cena horrível carregada de violência, mas nem sempre é assim que acontece. Pequenos fatos que nem sequer suspeitamos, podem ser vividos de forma traumática, como por exemplo, a simples visão de uma criança vendo uma cena de sexo entre os pais, ou uma repressão agressiva por parte dos mesmos diante de um comportamento como masturbação.

O desenvolvimento sexual deve ocorrer de forma natural, equilibrada e no tempo certo. A melhor metáfora que aprendi sobre o tema veio de uma sexóloga americana durante um congresso de sexualidade em que participei: “A experiência sexual deve envolver a mesma responsabilidade e preocupação quanto a de um menino deitado na grama em baixo de uma árvore tomando limonada enquanto observa as nuvens do céu” ou seja, nenhuma. Quando focalizamos demasiadamente uma ação natural, ela deixa de ser natural e se transforma num problema. Mas quando focalizamos muito é porque existe algo por baixo que não está legal.

Resumindo, a maior parte dos problemas envolvendo a sexualidade humana, são perfeitamente curáveis através de medicação e/ou psicoterapia, pois tudo o que a mente inconsciente faz, ela também desfaz. Basta enfrentar o problema com coragem tomando a decisão buscar ajuda clínica ao invés de fingir ou fugir.

Entre em contato!


3 respostas para “Disfunções sexuais – O que são e como tratá-las?”

  1. Leandro disse:

    tenho disfunção erétil e meu caso começou quando fui a primeira vez no motel com minha namorada eu tinha 18 anos e virgem e estava tão ansioso e nervoso que minha barriga gelava e minhas mãos também e o coração acelerado, foi um fracasso, não consegui ter ereção. Voltamos outro dia e tentei ficar mais calmo e consegui ter ereção porém ainda estava de cueca, depois que minha namorada falou, meu deus é hoje, perdi a ereção e não consegui mais, outro fracasso e ela terminou comigo e falou pra eu procurar um médico. Depois que terminou comigo eu tive mais 6 tentativas com 6 mulheres e fracassei novamente. Quando eu ia pra próxima ia ficando cada vez mais difícil e o pensamento das falhas anteriores vinham na mente e eu me cobrava muito e o resultado foi só fracasso. Cheguei a ir numa clinica que dão injeção no pênis, mas é muito caro e dolorido, cheguei a comprar um frasco, porém essa injeção tira a sensação de virilidade, pois só quando injeta que tem efeito. Gostaria de um tratamento em que eu chegue a ereção sem precisar injetar nada no pênis. Cheguei a pensar que não conseguiria satisfazer uma mulher na cama e por conta disso até me afastei das mulheres porque eu sei que não sou capaz de satisfazer uma mulher sexualmente. Hoje tenho 30 anos e gostaria de ter essa situação resolvida, e ter uma vida sexual ativa. Desculpa o desabafo, mas preciso de ajuda.

    • admin disse:

      Caro amigo!

      Parece que dentro de você ficou uma programação negativa, tipo uma hipnose que age todas as vezes em que vc tenta uma relação sexual. O próprio termo “tentativa” já é inadequado pois relação sexual não pode ser tentativa. Ou a pessoa tem libido isto é está a fim, ou não. Se for tentativa já significa que vai dar errado pois cria a ansiedade de ter que conseguir um bom resultado e isto acaba tirando o caráter natural da relação.

      Porque os cachorros não tem disfunção erétil? A resposta é que eles não se preocupam com o resultado, não se preocupam em ser aprovados. Nenhum animal se preocupa com isso, simplesmente seguem o instinto. O ser humano, ao contrário, fica preocupado com tantas coisas o que torna o relacionamento sexual algo complexo.

      Procure se afastar da obrigação de conseguir. Siga o seu instinto, não se preocupe com falhas e só faça se vc tiver vontade. Atualmente a sua vontade é ser aprovado sexualmente e não em ter prazer. Recupere o prazer e esqueça a autoestima. Penso que algumas sessões de hipnose poderão ajudar nesse aspecto.

      Um abraço, boa sorte.
      Dr. Romildo

      E.T. O seu sobrenome é Prazeres, procure seguir o seu sobrenome.

  2. OLá. Sempre acompanho seus artigos. Muito me enriquecem em aprender cada vez mais. Seu conteúdo
    é TOP. Obrigado !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.