Postado em | Escrito por: Romildo Ribeiro de Almeida
0 Comentário

A sua presença é o melhor presente!

O mês de outubro deveria ser um mês importante para as crianças, mas a alegria maior fica mesmo com o comércio já que esta data é uma das campeãs de vendas só perdendo para o Natal. A maioria dos países celebra o dia das crianças no dia 20 de novembro, data em que foi aprovada na ONU, a Declaração dos direitos das Crianças onde todas elas, independente de raça, credo, cor ou sexo têm direito a receber afeto, amor, compreensão, alimentação, cuidados com a saúde, educação gratuita e contra toda forma de exploração das mesmas.

No Brasil se comemora em outubro, pois em 1957 a Johnson & Johnson juntamente com a Fábrica de Brinquedos Estrela, lançou a “semana do bebê robusto”, concurso de fotografias de bebês enviadas pelos pais para a escolha do “bebê Johnson”.  A campanha foi um sucesso de vendas e desde então se instituiu essa data para presentear crianças. É interessante observar como as datas comemorativas que, a princípio foram instituídas para refletir e valorizar, sobre determinado tema, são sequestradas pela lógica do mercado e se transformam em datas puramente comerciais.

As propagandas nos convencem que dar presentes é manifestação de amor por isso nos entregamos passivamente aos apelos comerciais já que o dar e receber é uma troca que favorece ambos os lados. Isso acontece porque a consciência dá lugar ao piloto automático que age por impulso. Se pudéssemos parar um pouco para refletir, perceberíamos que as nossas crianças precisam muito mais do que brinquedos. Perceberíamos os altos índices de adolescentes fora da escola, crianças que vivem na rua, gravidez na adolescência, trabalho infantil, enfim números que deveriam envergonhar nossos governantes.

As práticas de mindfulness permitem um olhar atento sobre o que está acontecendo no momento presente. A consciência plena permite refletir e questionar: Será que as crianças precisam somente de coisas materiais? Será que dando presentes para as crianças não estamos tentando preencher o vazio que existe dentro de nós mesmos? A oferta mais linda de amor é ser presente. Leo Buscaglia, falecido escritor que mais escreveu sobre o amor, ensina: “A única coisa de valor que podemos dar a uma criança é o que somos, e não o que temos”.

 

   Romildo R.Almeida

    Psicólogo clínico

Entre em contato!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.