Ser ou Ter, eis a questao
Postado em | Escrito por: Romildo Ribeiro de Almeida
0 Comentário

Estamos no fim do ano. Essa época costuma deixar as pessoas estressadas. Os estudantes estão preocupados com as provas de fim de ano, vestibular etc. As donas de casa estão preocupadas com as listas de presentes, ceias natalinas e já entram no corre-corre. Quem é empregado ou tem seu próprio negócio, também já não agüenta mais tanta pressão, tanta cobrança. A impressão que se tem, é que não vamos agüentar mais. Vamos  estourar junto com o champagne.

Vivemos numa sociedade capitalista que super valoriza a competição e o individualismo, gerando uma multidão de neuróticos correndo atrás de um único objetivo: Vencer. As escolas modernas prometem preparar o aluno para vencer no mercado de trabalho. As crianças aprendem cada vez mais cedo, na escola, matemática, informática e inglês, mas não aprendem a ser felizes. Os pais se preocupam muito com o futuro dos filhos, como se eles não existissem no presente. Nesse ritmo alucinante, não há lugar para a vida.

Precisamos reconquistar a felicidade nas pequenas coisas. Do contrário, perderemos o encanto pela vida e nos tornaremos cada vez mais exigentes e mais infelizes.  Nunca é tarde para recomeçar. Transcrevo a mensagem abaixo que recebi pela Internet de uma amiga, cujo autor desconhecido, expressa bem essa esperança de buscar no ser, a verdadeira riqueza.

“Nosso corre-corre não nos deixa parar para perceber, se o que já temos não é o suficiente para nossa vida. Nos preocupamos tanto em ter: ter isso, ter aquilo, comprar isso, comprar aquilo.

Os anos passam e quando nos damos conta esquecemos do mais importante: Viver e Ser Feliz. Às vezes para ser feliz não precisamos de tanto ter, podemos nos dar conta que o mais importante na vida é ser. Esse ser tão esquecido muitas vezes não é difícil de se realizar. As pessoas precisam parar de correr atrás do ter e começar a correr atrás do ser: Ser amado, Ser gente…

Tenho certeza de que quando somos, somos muito mais felizes do que quando temos. O Ser leva uma vida toda para se conseguir e o Ter, muitas vezes conseguimos logo. Só que o Ser não acaba e nem se perde, mas o Ter pode terminar logo. O Ser, uma vez conseguido é eterno e o Ter é passageiro e mesmo que dure muito pode não trazer a felicidade, aí vem o vazio da vida das pessoas, tente Ser e não Ter e você sentirá uma felicidade sem preço. Que você deixe de cobrar o que fez e o que não fez nesses anos. Tente o mais importante: SER FELIZ.”

Que essa mensagem seja a nossa reflexão na noite de Natal e a referência nos nossos planos para o ano que está por vir. Afinal, se Jesus nasceu, sofreu e morreu para nos salvar, vamos tentar salvar o que temos de mais sagrado: Nossa liberdade de escolha.

Entre em contato!


Deixe uma resposta