Abraçando a Dor
Postado em | Escrito por: Romildo Ribeiro de Almeida
0 Comentário

A Páscoa nos ensina a compreender e aceitar o significado da cruz

A Páscoa é a festa mais importante para os cristãos porque significa libertação, a passagem da morte para a vida, das trevas do pecado para a luz. Tem íntima relação com a libertação do povo de Deus que era escravizado no Egito. Sendo assim, a Páscoa é também um importante momento para fazer uma reflexão interior sobre o significado da dor e a importância do perdão.

Jesus através da sua postura diante da cruz e da maneira como enfrentou a agonia e o martírio no calvário, nos dá um ensinamento interessante sobre como lidar com situações extremas de dor e de perda.

A primeira lição que podemos tirar é que Jesus não sofreu por masoquismo, nem para obter prestígio. Ele não buscava a obtenção de ganhos secundários, mas tinha um grande ideal que era salvar a humanidade e, por isso, aceitou ir até as últimas conseqüências, isto é, morrer na cruz.

Em nossa história de vida nós também enfrentamos momentos de dor e de perda e, às vezes, ficamos desanimados pensando que a nossa cruz não tem o menor sentido. No mundo atual marcado pelas conquistas tecnológicas, pelos avanços da ciência, especialmente na área da saúde, fica difícil entender e aceitar o sofrimento, mas o sofrimento faz parte da vida.

As indústrias químico-farmacêuticas nos oferecem remédios para todos os males, desde uma simples dor de cabeça até a mais grave depressão. Os meios de comunicação com sua publicidade e propaganda, nos empurram para uma só direção: a busca do conforto e do prazer.

“O sofrimento faz parte da vida e, em muitos casos, é melhor aceitá-lo com resignação compreendendo o seu sentido profundo”

Diante dessa realidade, fica cada vez mais difícil compreender e aceitar o significado da palavra cruz. Imaginem como é difícil educar as crianças e ensinar sobre a vida de Jesus, marcada pelo sofrimento, nos tempos atuais. Infelizmente, nossos valores são outros. Falar sobre dor, sofrimento e perdão ficou totalmente fora de moda.

Muitas vezes no meu trabalho como psicólogo, deparo-me com pessoas que, embaladas na ideologia do prazer e do conforto, não aceitam a dor e querem soluções mágicas e imediatas. A maioria delas quer eliminar, cortar, apagar tudo o que se refere ao sofrimento, especialmente do passado, numa fantasia de querer viver só o que é positivo e agradável, desprezando assim os momentos tristes e penosos da vida.

Infelizmente, não existe uma terapia que seja capaz disso e se existisse não seria boa. O sofrimento faz parte da vida e em muitos casos, é melhor aceitá-lo com resignação compreendendo o seu sentido profundo.

A Páscoa abre em nosso coração uma janela e nos convida a olhar dentro de nós mesmos, abraçar a nossa dor e viver a liberdade transformando dores em alegria usando para isso, o remédio mais eficaz que Jesus nos deixou: o perdão. Feliz Páscoa a todos.

Entre em contato!


Deixe uma resposta