Febre Pokémon
Postado em | Escrito por: Romildo Ribeiro de Almeida
0 Comentário

É desnecessário falar sobre a febre do Pokemon Go um jogo que desde que chegou ao Brasil ganhou uma popularidade sem precedentes fazendo as ações da empresa criadora subir mais de 25% em poucos dias. Mas é útil refletir o porquê de um simples jogo virar um fenômeno mundial que está mexendo com a cabeça de muita gente desde crianças até idosos.

Como funciona? O jogo é um aplicativo que permite ao usuário através da câmera do smartphone, explorar o ambiente a sua volta capturando bichinhos virtuais enquanto caminham pelas cidades. É só ir andando e de repente, o celular vibra indicando que há bichinhos na área. Então o jogador tira o aparelho do bolso, abre o mapa do aplicativo e o Pokémon aparece na tela. Daí por diante é só tentar capturá-lo.

Não resta dúvida que o jogo é divertido e segue o mesmo padrão de todos os jogos de vídeo game que é o de criar uma expectativa de progredir cada vez mais alcançando melhores resultados, criando recompensas em nível mental. Não é por acaso que o jogo faz tanto sucesso.

Pokémon Go, ao contrário dos outros jogos de vídeo games, em que o jogador fica sozinho no quarto, exige  que ele explore o ambiente. No caso de uma pessoa depressiva, só o fato de ela sair por aí, produz uma mudança da estrutura mental potencializando sentimentos, criando motivações, algo positivo ainda que a meta proposta pelo jogo não seja tão nobre, ou seja, a de caçar Pokémons.

Um dos perigos dessa mania é evidente: pessoas distraídas olhando na tela do celular enquanto caminham, podem ser atropeladas, roubadas ou topar com a cara no poste. Além disso, a possibilidade de ficar fanático e viciado existe principalmente entre crianças e adolescentes.

A febre do pokémon go que estamos procurando-

Não há dúvida que a dependência em qualquer situação, tira a capacidade de concentração e afeta diretamente o desempenho escolar e isto vale não só para Pokémons, mas para qualquer outro tipo de jogo.

A reflexão que devemos fazer é um pouco mais profunda e cabe aqui uma pergunta:

Vale a pena gastar tempo e energia para procurar algo que só existe virtualmente?

A verdade é que procuramos algo que nos traga motivação e faça a nossa vida sair do tédio e da mesmice do mundo moderno em que vivemos. Os compromissos, as tarefas escolares, o trabalho e até os nossos pensamentos seguem o mesmo ciclo de repetição constante.

Talvez a busca pelos pokémons esteja ligada às nossas fantasias infantis de caçar um tesouro escondido e tê-lo só para nós. Na verdade, esse tesouro que buscamos fora, está dentro de nós mesmos, mas não o enxergamos e por isso, o projetamos nos personagens dos filmes, livros, desenhos e vídeo games.

Precisamos urgentemente rever os nossos valores, afinal o mundo lá fora é mais emocionante do que qualquer jogo. A vida está cheia de novos desafios e em cada esquina existem pessoas que precisam de nós. Existe sim um tesouro a ser descoberto e esse tesouro se chama amor. Com ele podemos revolucionar o mundo e reconstruir novos caminhos.

Quando encontrarmos o verdadeiro sentido da nossa vida, estaremos de posse do nosso tesouro e certamente não sobrará muito tempo para procurar Pokémons.

 

Entre em contato!


Deixe uma resposta