Crimes Passionais
Postado em | Escrito por: Romildo Ribeiro de Almeida
0 Comentário

Pergunta da jornalista Renata que está fazendo um trabalho sobre namorados que matam suas namoradas. Ela quer saber a causa desse fenômeno.

Olá Renata.

Sua pergunta abre uma série de janelas. Esse é um problema q envolve muitas circunstâncias. Crimes passionais sempre existiram desde q o ser humano é gente.

A base desse fenômeno, é primitiva. A competição sexual para levar seus gens a frente e perpetuar a espécie, fazia com que o indivíduo tentasse eliminar seus concorrentes ou eliminar sua parceira a fim de não deixar q outro se apoderasse do que lhe pertencia e vencer a disputa.

O ser humano se desenvolveu muito ao longo dos anos mas a base primitiva persiste e é o ponto de partida para qualquer comportamento irracional. Por baixo da nossa mente consciente, objetiva, e ética, há um inconsciente q age por instinto tentando nos livrar das ameaças, sejam elas quais forem.

Entre todas as ameaças imagináveis, existe essa ameaça afetivo-biológica de ficar no mundo sem viver uma grande relação, capaz de gerar frutos e alça-lo a um patamar onde fica consolidado a sua vocação e missão de homem, de macho aqui na terra. Isso tudo, bem embrulhado e enfeitado, é o que chamamos de felicidade, o que todos perseguimos independente da cultura e raça.

A coisa fica mais feia quando a vida desse homem em si, desde o seu nascimento, não garantiu a ele uma condição em que pudesse estar satisfeito e em paz com essa missão bio-psicológica. Existem traumas q só encontram equilíbrio na compensação seja afetiva ou de outra natureza.

Particularmente, num mundo atual onde a competição social é agressiva e selvagem em todos os aspectos, esse tema da compensação afetiva, torna-se um fenômeno recorrente, sobretudo nas grandes cidades.

Resumindo, o homem já evoluiu muito nos últimos milênios, mas, não obstante todos os progressos tecnológicos, não obstante o grau de organização que a sociedade adquiriu, ainda continua sendo um animal e a camada que separa essas duas realidades representada pela religião e pelas leis, é bem tênue, sobretudo, numa época em que as instituições religiosas e o estado, perderam sua finalidade primordial e se tornaram organizações empresariais, mais interessadas com o lucro.

Motivos passionais sempre serão um facão a romper essa camada e liberar a primitividade que reside em cada um de nós.

Isso é o que posso lhe responder em curto tempo. Espero te-la ajudado.

Um abraço.

Romildo

Entre em contato!


Deixe uma resposta